NOTÍCIAS

​Últimas Publicações
Socialize
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle

4 práticas de gestão de caixa para micro e pequenas construtoras

A gestão de caixa é certamente um dos elementos de gestão mais importantes para a boa saúde financeira de uma empresa. Mas para micro e pequenas construtoras esse trabalho pode ser um desafio.

Apesar de reconhecer que manter o caixa protegido e no azul é importante, muitos gestores e analistas financeiros acham difícil encontrar maneiras práticas de fazer isso. Mas mesmo no mercado tão dinâmico e concorrido da construção civil, isso é possível.

Neste artigo eu vou mostrar para você por que a gestão de caixa é tão importante e quais são algumas das principais práticas que podem ajudar a sua empresa nesse sentido.



Por que a gestão de caixa é tão importante?

A gestão de caixa tem um papel mais importante na saúde de uma empresa que muitos gestores imaginam.

Quando o trabalho de gerenciar os recursos é bem feito, a tendência é que todos os setores ganhem força para realizar suas funções sem risco de interrupções ou problemas. Por outro lado, quando a empresa não cuida do caixa, fica vulnerável a uma gama de problemas.


É como se o caixa da empresa fosse o seu cofre, sua proteção. Se ele está bem protegido, a empresa vai bem. Senão, a empresa fica exposta e frágil a qualquer dificuldade e vive à beira de uma crise.

Veja pelo menos 3 motivos para cuidar muito bem da sua gestão financeira:


Equilíbrio financeiro

O primeiro motivo para cuidar bem da gestão do fluxo de caixa é manter o equilíbrio financeiro do negócio. Quanto mais bem ajustada a sua construtora estiver nesse sentido, menores os riscos de gastar na hora errada ou realizar investimentos que não tem condição de manter.

Quando falamos em equilíbrio financeiro é muito importante que você lembre do seguinte:

Manter o fluxo de caixa em dia não se resume a ganhar mais do que gasta. É claro que isso é muito importante, mas é apenas parte do trabalho. É fundamental conciliar na agenda quando a empresa vai receber pagamentos e quando precisa realizá-los.

Com essa informação bem atualizada é possível negociar prazos de pagamento longos o bastante, se antecipar a vencimentos para evitar multas, etc.

Basicamente, a ideia de equilíbrio financeiro envolve fugir de juros, protestos em cartório e até se prevenir contra falta de pagamento sem levar o prejuízo para a relação com os seus credores.


Investimentos lucrativos

Quem cuida bem da gestão de caixa também consegue aproveitar melhor as oportunidades de mercado que eventualmente surgem e realizar investimentos lucrativos em cima delas. Por outro lado, quem não sabe como manter o equilíbrio do fluxo de caixa mal consegue arcar com os compromissos atuais.

Esse tipo de investimento lucrativo inclui:

  • iniciar novos empreendimentos;

  • assumir empreendimentos de outras empresas que não têm condições de mantê-los, pagando um valor abaixo do mercado;

  • adquirir ferramentas e materiais por um valor mais baixo;

  • entre outras coisas.

Construção de longo prazo

A capacidade de qualquer empresa se manter viva no mercado por muitos anos está diretamente ligada à sua eficiência na gestão financeira. É impossível manter um negócio forte e crescente quando a gestão dos recursos é mal feita.

Por isso, a única forma de construir uma marca e um empreendimento de legado no longo prazo é com investimento contínuo na melhoria da gestão de caixa. Isso deve ser uma prioridade tanto para quem deseja continuar como pequena construtora quanto para quem pretende crescer e dominar o mercado em que atua.


4 práticas de gestão de caixa para a sua construtora

Agora que a importância da boa gestão de caixa ficou bem evidente, é importante que você descubra algumas das melhores práticas que garantem isso. Ao contrário do que pode parecer, a gestão de caixa não é trabalho só do setor financeiro.


É preciso que os gestores mantenham a boa comunicação e a colaboração em diferentes decisões estratégicas e operacionais. Isso pode ser visto nos 4 itens abaixo, que ajudarão a sua construtora a gerenciar melhor os recursos do caixa e se manter sólida no mercado:

1. Compra responsável de materiais

A primeira boa prática para manter a gestão de caixa em dia é comprar materiais de forma responsável. Visto que boa parte dos custos das obras é destinada a materiais de construção, equipamentos e ferramentas, é fundamental buscar os melhores preços possíveis.

Além disso, um bom cronograma de obra torna possível saber quando cada material será necessário e, assim, saber se vale a pena comprar tudo de uma vez ou em etapas.

Esse tipo de detalhe parece pequeno de início, mas é o tipo de coisa pode fazer a diferença entre ter dinheiro em caixa para uma emergência ou não.

Então só para deixar claro:

A compra responsável não tem a ver com comprar o mais barato, mas com ser eficiente na quantidade, qualidade, preço e momento de fazer a compra.

2. Uso sem desperdício de materiais e mão de obra

O mesmo princípio citado acima vale quando se trata de desperdício. Por exemplo, imagine que você consegue comprar os materiais na quantidade certa e no momento certo, a um preço bom, mas há tanto desperdício no canteiro que é preciso fazer uma nova compra.

Isso atrapalha todo o cronograma da obra, afeta o orçamento e prejudica o fluxo de caixa com compras inesperadas sem necessidade. Além disso, é preciso levar em conta a mão de obra e os maquinários.

Em certos serviços pode valer mais a pena alugar equipamentos do que comprá-los, dependendo de alguns fatores, como frequência de uso e preço da máquina.

3. Projetos enxutos e eficientes

Quanto mais enxutos e eficientes forem os projetos, melhor para o caixa. O motivo disso é simples: você gastará menos com compras, terá de lidar com menos fornecedores, prazos e tributos.

Todas essas coisas têm seu efeito, direto ou indireto sobre a gestão financeira. Aliás, a sensibilidade de perceber como elementos indiretos podem fazer a diferença no caixa é um ponto importante para ficar de olho.

Como tornar um projeto enxuto e eficiente?

Além de realizar as práticas que acabei de citar, algumas obras podem ser melhores com empreiteiros terceirizados do que com equipe interna. Outro fator que ajuda bastante é o próximo item da nossa lista: o sistema de gestão.

4. Sistema de gestão eficiente

Se você tenta ou já tentou gerenciar uma obra só usando papel e caneta ou mesmo planilhas no computador, sabe que o desafio é gigantesco. Um sistema de gestão eficiente torna todos os pontos citados neste artigo muito mais fáceis de cumprir.


Além disso, um bom sistema de gestão, também conhecido como pode automatizar certos processos financeiros importantes. Entre os benefícios disso estão:

  • coleta de dados para tornar as obras mais eficientes;

  • realização de orçamentos;

  • gestão de pagamentos;

  • controle de contratos;

  • acompanhamento de cronograma de obras;

  • e muito mais.

A boa gestão de caixa é indispensável para qualquer micro ou pequena construtora. Afinal, por ter um porte menor elas costumam ter menos força para passar por crises com relação às grandes empresas do setor. Mas com um bom trabalho de gestão, que inclui um sistema capaz, a sua construtora terá tudo para prosperar e crescer.


por Natália Lange Pinho

Formada em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Pelotas, atualmente trabalha como Consultora Estratégica no Sienge Go!.

© 2020 Todos os direitos reservados a FIEG
Assessoria: Agência Saber Multimídia (62) 98186-3552

Apoio Institucional: