NOTÍCIAS

​Últimas Publicações
Captura de Tela 2021-02-19 às 12.21.12.

NORMA PREVÊ ISOLAMENTO ACÚSTICO PARA APARTAMENTOS

Edifícios residenciais construídos a partir de julho de 2013 são obrigados a ter isolamento acústico. As obras inclusas na regra devem começar a ser entregues neste ano, o que deve ajuda a reduzir um dos principais motivos de reclamações e multas em condomínios.



A norma 15.575, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), prevê que seja feita o isolamento acústico das paredes externas e ambientes internos, entre pisos e paredes. Além disso, foi estipulado um limite máximo de decibéis dentro do imóvel. Na regra, uma parede que divide os apartamentos deve ter um isolamento de 45 decibéis. A intenção é promover conforto e privacidade dentro dos imóveis.

De acordo com o engenheiro civil Leonardo Menezes, da Consciente Construtora, em geral, um prédio residencial demora cerca de três anos para ser construído. Com isso, os empreendimentos que estão sob a vigência da nova norma já começam a ser entregues.

O Botanic Consciente Life, no setor Oeste, é um dos empreendimentos que será entregue com a nova acústica. Menezes explica que a construtora têm realizado testes, que verificam a intensidade dos ruídos, e afirma que o isolamento atendeu aos requisitos exigidos na norma.

“O barulho é uma coisa que incomoda muito para uns. Já para outros nem tanto. Mas, com os parâmetros estabelecidos, fica mais fácil”, explicou.

Sobre os custos às construtoras, Menezes afirma que ainda não há um percentual de quanto as mudanças custarão financeiramente, mas que, em termos de qualidade do produto da moradia, a norma é positiva.

"Tem uma construtora que disse que é o valor de 4% a mais na obra. Na Consciente, a nossa adaptação não custou nenhum acréscimo no final da obra, mas não temos uma regra de valor ainda, porque está todo mundo se adaptando”, revela.

Para o vice-presidente do Sindicato dos Condomínios e Imobiliárias de Goiás (Secovi-GO), Marcelo Baiocchi, as alterações da norma influenciam diretamente no custo da obra, já que o gasto com materiais aumenta. No entanto, uma alternativa é o apelo comercial.